27 set 2013
O 1º trimestre da Gravidez

Meninas, hoje temos uma participação super especial aqui no blog: a Dra. Elissa Dias, que é Ginecologista e Obstetra e que além de ser uma ótima profissional, acabou de passar por uma gestação maravilhosa!

Como somos amigas há muito tempo, eu pedi para ela escrever sobre alguns cuidados e informações que todas devemos saber sobre gravidez.

Mas antes, quero dividir com vocês uma tabela que explica a contagem dos meses e semanas da gestação. Assim fica mais fácil para as gestantes explicarem de quantos meses estão, pois os médicos sempre falam em semanas e ficamos meio perdidas mesmo.

Vamos dividir os posts em 3, cada um falando sobre um trimestre da gestação, ok?
Hoje a Dra. Elissa vai falar sobre o 1º:

“Se a menstruação atrasou esse é o primeiro sinal de que você está grávida, muitas pacientes já correm fazer o teste de farmácia, mas o ideal é que você realize o exame de sangue Beta-HCG, mais confiável para confirmar a gravidez. Se positivo o ideal é procurar seu médico obstetra para iniciar o pré-natal. Muitas modificações começam a ocorrer no organismo materno para se adaptar à essa nova fase, e a maioria dessas alterações ocorrem devido a produção do hormônio progesterona.

No primeiro trimestre da gestação vários sintomas diferentes podem ocorrer como: náuseas e vômitos, aversão a odores e alimentos, dor abdominal tipo cólica, aumento da frequência urinária, sono excessivo, aumento e dor nos seios. Entretanto, mesmo que você não apresente esses sintomas, fique tranquila, pois muitas pacientes podem não ter sintoma nenhum.

Nesse trimestre é importante já iniciar os cuidados com a alimentação, que deve ser o mais saudável possível, isso significa que a gestante deve cuidar da qualidade dos alimentos que consome e não deve exagerar na quantidade (não é para comer por dois), prestar atenção ao peso com que está no início da gestação, pois seu médico irá se basear nesse peso para ver o quanto você pode engordar (de uma forma geral o ideal é de 9 a 12 kg). Outro ponto importante é não ficar muito tempo em jejum, o ideal é se alimentar a cada 3 horas, lembre-se que apesar de seu bebê ter poucos milímetros, nessa fase ele está formando todos os seus órgãos. Evitar também excesso de doces e de sal, pois este último pode levar ao aumento da pressão arterial. O ácido fólico deve ser utilizado nesse primeiro trimestre para evitar malformações do sistema nervoso central do bebê, mas o ideal é que seja iniciado assim que você planeja engravidar. Para as fumantes largar o cigarro é imprescindível. Evitar bebidas alcoólicas e só utilizar medicamentos autorizados pelo seu médico.

Praticar exercícios físicos também é importante, mas converse com seu médico para avaliar qual o exercício ideal e em que fase você já está liberada para fazer, pois muitos médicos contra-indicam exercícios no primeiro trimestre. Lembrar de beber muita água. Agendar uma consulta com seu dentista para uma limpeza também é importante, muitas pacientes descuidam da saúde bucal na gestação, lembre-se que é importante estar com tudo em dia, pois uma gengivite ou infecções dentárias podem desencadear trabalho de parto prematuro.

O intestino pode ficar mais preguiçoso também devido ao hormônio progesterona. O aumento de pigmentação da pele também pode ocorrer, por isso evite a exposição solar excessiva e use sempre filtro solar. O estômago começa a produzir uma maior quantidade de ácido o que pode causar azia e queimação.

A ansiedade é grande para fazer a primeira ecografia, o ideal é que seja feita em torno de 7 a 8 semanas de gestação uma vez que nessa fase já é possível ver se o embrião está bem implantado no útero, verificar a presença dos batimentos cardio-fetais, e ver através da medida do embrião com quantas semanas de gestação você está e ver se coincide com a idade gestacional que foi determinada pela data da sua última menstruação.

Depois dessa ecografia, entre 11 e 14 semanas deve ser feita a ecografia morfológica de primeiro trimestre que avalia a translucência nucal, que é a medida da prega nucal do bebê, estando esse valor normal já diminui muito a possibilidade de Síndrome de Down e outras doenças. Em torno de 13 semanas  já é possível ver o sexo do bebê, mas isso é muito dependente do ecografista, da qualidade do aparelho utilizado e da posição fetal.”

Dra Elissa Pereira Dias
CRM-PR 25834
Ginecologista e Obstetra
Especialista em Reprodução Humana
Rua Capitão Frederico Virmond 2426
Salut Centro Clinico
Fone: 42 3623-9873

Gostaram da participação da Dra. Elissa? Se tiverem qualquer dúvida, deixem nos comentários que depois repasso para ela, ok?

Gostou? Você pode compartilhar...ou Comentar!