Uma data especial merece comidinhas gostosas.

No dia dos pais preparei um café da manhã e um almoço especial para o meu marido e super pai da Maria Luiza.

Mesa do café: Montei a mesa na área externa da minha casa nas cores azul, branco e verde. Comprei tudo o que ele mais gosta, bolachinha, pães, frutas..

mesa 1

 

Mesa finalizada.

mesa 2

 

Postei tudo no snapchat: mundomalu 

Fiz um mini bolo de churros que fez o maior sucesso (no snap e em casa).

Vou dividir a receita com vocês.

Ingredientes:

1 xícara chá de farinha trigo (110g)

3/4 xícara chá açúcar (90g)

1 colher (sopa) de canela em pó

1 pitada de sal

3 colheres (sopa) de óleo

3 gemas

3 claras em neve

1/4 xícara chá de água (50ml)

2 colheres (chá) de essência de baunilha

1 colher (sopa) de fermento

Para cobertura:

Uma lata de leite condessado cozida. Coloque na panela de pressão e deixe por 30 minutos, após começar a chiar.

Açúcar de confeiteiro para polvilhar.

Como fazer:

Em uma tigela, misture farinha, açúcar, canela e o sal.

Bata as claras em neve.

Em outra tigela, misture óleo, gemas, água e a baunilha.

Junte os secos e por última a clara em neve.

Adicione fermento.

Usei uma assadeira redonda com aro removível de 15 cm. Untei com óleo e trigo e forrei o fundo com papel manteiga.

Leve ao forno pré aquecido 180º por + ou – 25 minutos.

Depois de esfriar, corte ao meio e recheie com metade do doce de leite.

A outra metade use para cobrir o bolo, usei um bico pitanga para decorar.

Por fim polvilhe o açúcar (tirei a foto antes de polvilhar).

IMG_9201 (2)

Espero que vocês gostem da receita, testem e me contem!

beijosmari5

Gostou? você pode compartilhar...Ou Comentar...

Fui convidada pelo site Expedia Brasil para escrever um post sobre uma região do Brasil e eu escolhi falar sobre Gramado que é uma cidade perfeita para visitar nesta época do ano!

g1

Como eu ainda não conheço a cidade, pedi para a Mari e para a minha amiga Jaque Bertolini dividirem conosco algumas dicas dessa cidade pequeninha, mas super charmosa.

A Jaque foi para Gramado no final de maio e achou a época ótima, pois já estava friozinho, mas não estava cheio de turistas e os preços ainda eram da baixa temporada. Ela fez vários passeios voltados para crianças, pois tem um filho pequeno. Entre os passeios, ela indica o Zoológico e o Mini Mundo.

Outra dica super legal que ela deu foi, para quem não quiser levar carrinho de bebê, alugar um na Chameleon babies & kids que fica no centro comercial Largo da Borges. Ela alugou um carrinho da McLaren em perfeito estado por R$ 25,00 o dia.

Por ser uma cidade turística, Gramado conta com uma infinidade hoteleira enorme! Pesquisei sobre alguns hotéis e vou listar os que mais gostei:

* Varanda das Bromélias: Um hotel boutique para curtir a lareira no quarto e tomar um caprichado café da manhã. É um hotel mais requintado e luxuoso.

Loft-42-Inverno

* Villa Bella: Hotel que acaba de passar por uma reforma. Tem uma vista privilegiada e um andar romântico e exclusivo para casais (lindo!).

Suite casal no Villa Bella com vista privilegiada do Vale

* Alpestre: Um ótimo hotel para ir com a família! Tem um pátio verde lindo e recreação com monitores. Em datas especiais, oferece programação especial e temática na recreação.

Hotel-Alpestre-7

Outro passeio bacana é passar uma tarde no Snowland, que é o primeiro parque indoor de neve das Américas. Ele inaugurou no final de 2013 e, desde então, vive lotado. Oferece pista de gelo, restaurante e atrações na montanha de neve artificial, como tobogã, esquibunda e aulas de esqui e snowboard.

snowland4

No quesito comidinhas, Gramado parece ser uma perdição! Confiram a lista de restaurantes que a Mari e a Jaque indicaram:

* Nonno mio: A pedida por lá é o galeto, prato principal da casa. De entrada eles servem uma sopa capeletti, depois o galeto, duas massas, maionese, salada, polenta e de sobremesa um sagu com vinho caseiro e creme. Uma delicia!

nonnomio

* Cantina Pastaciutta: O preferido da Jaque. Peça o talharim caseiro ao molho quatro formaggio e file mignon, ela jura que é o melhor da vida!

cantina+pasta

* Il Piacere: Restaurante de carnes tipo parrillada. Vale a pena experimentar as pizzas também.

piacere-FACHADA

* Casa da Velha Bruxa: Peça o waffle que vem com várias caldas, o de chocolate prawer e o doce de leite são os melhores.

IMG_0222

* Chocolate Caracol: O chocolate quente e o bombom recheado com leite condensado são divinos!

Gramado-Reino-do-Chocolate-1

* Bouquet Garni: O preferido da Mari. É um restaurante surpreendente, sofisticado e muito aconchegante. A decoração é clássica em tons de verde e toile de jouy.

Bouquet-Garni-1

* Josephina: Perfeito para um almoço, tem cara de casa da vovó. Lareira, livros, anúncios antigos e fotos da família dos proprietários, decoram a casa.

DSC08745ok1

 * Belle du Valais: Considerado o melhor restaurante suiço do Brasil, é um pedaço da Suíça em Gramado. Elegante e muito requintado, a decoração é imponente. Lustres de cristais, lareiras, lindas louças e velas, compõem o ambiente. O cardápio é bem variado, mas a sequência de fondue (queijo, carne e chocolate) é imperdível!

1belle-du-valais-fachada

E então, já estão com as malas prontas? Se você também se animou para conhecer Gramado, não deixe de conferir aqui dicas de roteiros para 3, 5 e 7 dias na cidade.

Se alguém tiver mais alguma dica bacana, deixe nos comentários. Vou adorar ler todas!

beijoslu

Gostou? você pode compartilhar...Ou Comentar...

Meninas, nosso último destino na lua de mel foi Positano, na Costa Amalfitana.

A Costa Amalfitana é um trecho de 60 km de litoral entre Salerno e Sorrento, a estrada que liga as cidades é na maioria do tempo super estreita, na beira de imensos precipícios e realmente precisa ter atenção por lá, as curvas são surreais. As 4 cidades mais conhecidas da lá e que merecem uma visitinha são: Sorrento, Amalfi, Positano (onde escolhi ficar) e Ravello. O ideal é escolher uma delas para montar base e durante o dia conhecer as outras. Positano para mim foi a mais bonita e especial, acho que acertei na minha escolha!

Para chegar em Positano, pegamos um ferry boat em Capri que nos deixou no porto da cidade. Decidimos não alugar carro, pois é muito fácil se deslocar pela costa de barco ou de ônibus, e como já comentei antes, as estradas são tensas!

O hotel que escolhemos foi o Villa La Tartana que fica bem pertinho da praia e tem uma vista linda do mar. Os quartos são bem estilo praiano, mas super confortáveis e limpos. Nosso quarto também tinha uma sacada enorme, perfeita para ficar curtindo o visual no fim da tarde!

Em Positano aproveitamos para descansar, apreciar a paisagem, comer pizza, beber Limoncelo e ir na praia. É aquele “dolce far niente” que eu tanto sonhava (e precisava) antes de voltar para casa!

Também fomos conhecer as outras cidades que tem ali perto: Amalfi, Ravello, Sorrento e Pompéia. Para Amalfi fomos de barco, para Ravello e Sorrento de ônibus e para Pompéia de trem.

Amalfi é a principal cidade, ponto de referência na Costa Amalfitana. Seu centrinho é cheio de lindos e deliciosos cafés, tem uma fonte coberta por querubins e a igreja Duomo di Sant’Andrea, cuja incrível arquitetura tem influências árabes, bizantinas, barrocas e normandas.

Ravello fica na montanha, em um dos pontos mais altos da Costa Amalfitana e é um dos lugares que não podem deixar de ser conhecidos. Seus jardins são pequenos paraísos com vistas deslumbrantes da costa!

Já Sorrento é uma das maiores cidades da região. Super charmosa, também fica no precipício, como um terraço sobre o mar, com vistas de tirar o fôlego. Para completar, é todinha sombreada por limoeiros.

Preciso dividir uma diquinha top com vocês, em Sorrento o preço dos souvenirs é bem mais em conta do que qualquer outra cidade da costa, por isso deixe para comprar as lembrancinhas lá. Aliás, foi em Sorrento que comprei a minha rasteirinha de pedras, típica da região. Nas lojas de Capri e Positano a rasteirinha mais barata que encontrei custava 100 euros ($$$) e quando achei essa loja (bem pequena) com rasteirinhas de 29 euros na vitrine, pirei! E olha que eram as mais lindas que vi por lá. Não me matem, mas não lembro o nome da loja (a marca da rasteirinha é Fiori & Spine, mas o nome da loja era outro), sei que ela fica na Corso Italia, a rua principal de Sorrento, quase ao lado da loja Bottega del Gioiello que vende joias e relógios. Não é difícil de achar!

Em Sorrento pegamos o trem para Pompéia, que fica há apenas 22 km de Nápoles. As ruínas da cidade soterrada pela chuva de cinzas que “sepultou” o local sob 6 metros durante a erupção do Vesúvio em 79 d.C. permanecem em excepcional estado de conservação. É impressionante, um sítio arqueológico extraordinário que possibilita uma visão detalhada da vida de uma cidade dos tempos da Roma Antiga. Eu adorei esse passeio!

Não posso deixar de listar os restaurantes que mais gostei em Positano: o Chez Black, o La Cambusa, o L’incanto, o Rada e o Caffè Positano. Os quatro primeiros ficam na beira da praia, pertinho do hotel que fiquei, e o último fica mais no alto, perto do Hotel Poseidon, e tem uma vista linda!

Foi a lua de mel dos meus sonhos!!! Amei cada cantinho que conhecemos e realmente não tem como dizer qual foi meu lugar preferido, cada um tinha seu charme e suas particularidades!

E então, gostaram dos posts? Dei uma boa resumida, mas se alguém quiser saber mais sobre alguma coisa, deixa um comentário aqui embaixo que vou tentar ajudar!

Gostou? você pode compartilhar...Ou Comentar...
21 mai 2015
Lua de Mel: Capri

Meninas, nosso segundo destino na lua de mel foi a ilha de Capri na Itália.

Pegamos um voo da Airfrance de Paris direto para Nápoles e já em Nápoles fomos até o porto de taxi e pegamos um barco para Capri. Ficamos em Capri 2 noites, o que eu achei perfeito, pois conseguimos conhecer a ilha com tranquilidade (tem muita gente que só vai passar o dia em Capri e no fim da tarde volta para a Costa Amalfitana ou Nápoles). O hotel que escolhemos foi o Della Piccola Marina que fica bem perto do centrinho (Piazzetta) e a uma curta caminhada da praia Marina Piccola.

Assim que chegamos fomos conhecer o centrinho de Capri que é uma delícia para passear no final da tarde (quando os turistas que foram passar o dia na ilha já foram embora). Tem várias opções de restaurantes e também lojas de marca renomadas, como Dior, Dolce & Gabanna, Gucci, Valentino, Ferragamo, Fendi, etc. Não deixe de tomar um gelato na Buonocore, eles fazem a casquinha na hora e o cheiro é irresistível!!

No dia seguinte passamos a manhã em um beach club na praia Marina Piccola, o Le Sirene. Os beach clubs da Europa normalmente são assim, você paga cadeira, guarda sol e toalha por pessoa. Aí, quando bate a fome, você vai para o restaurante do club fazer uma boquinha.

Outro ponto importante para contar é que as praias de lá não tem areia. Normalmente os restaurantes e beach clubs são em rochas, alguns tem algum escape com escadas e você consegue entrar na água cristalina. As poucas praias que vi por lá são públicas, mas também não tem areia, é só pedra! Sim, pedras! Parecem cascalhos, e, pasmem, as pessoas esticam a canga (algumas nem isso) e deitam lindamente para se bronzear rsrs… É bem diferente! Mas a cor da água paga tudo, é maravilhosa e a paisagem é das mais lindas que já vi. Grutas e mais grutas, água azul turquesa ao azul safira, rochas, erosões… Você chega a ficar até de boca aberta, pois é algo diferente de tudo.

Neste dia também fomos conhecer Anacapri, a outra cidade da ilha (menor e menos turística), que tem um teleférico que te leva ao ponto mais alto da ilha, de onde você tem uma vista linda de Capri!

No último dia em Capri nós alugamos um barco no “Capri Boat – Banana Sport” (o quiosque fica na Marina Grande – porto de Capri -, próximo de onde vendem os tickets para o ferry) para passear em torno da ilha . Vale ressaltar que para alugar o barco não é preciso ter licença marítima. Eles apenas explicam como funciona o barco, te dão um mapa e ciao! No começo fiquei meio tensa, pois meu marido não tem experiência alguma em pilotar barcos, mas deu tudo certo e depois ficamos rindo do meu nervosismo inicial!

O passeio compensou muito, pois éramos só nos 2 ali no meio daquele paraíso, podendo parar quando e onde queríamos para dar um mergulho ou tomar sol! Não conseguimos conhecer a famosa Gruta Azul, pois a maré estava muito alta e quando isso acontece a gruta fica submersa. Mas vimos paisagens maravilhosas, que não tem como explicar, melhor mostrar as fotos de uma vez:

O preço do aluguel do barco era 90 euros por 2 horas, mas como ficamos um pouco mais que isso deu uns 120 euros. Para comparar, um passeio em um barco privativo com marinheiro fica em torno de 350 euros.

Também tem os barcos para turistas que são maiores e levam muita gente ao mesmo tempo, não vi o valor desses, pois queríamos algo mais particular, mas com certeza o valor deve ser bem mais em conta do que alugar um barco. Fica ao critério de cada um qual escolher.

Sobre os restaurantes de Capri, o que eu mais gostei foi o Il Geranio que fica mais no alto e tem uma vista linda para os Faraglioni: os três picos de rochas saindo do mar a poucos metros da costa. Também almoçamos em um restaurante na Marina Grande que era bem simples, mas a comida muito boa, não lembro nome… mas fica do lado de onde alugamos o barco, não é difícil de achar.

Gostaram das dicas? Semana que vem eu publico o post sobre Positano e a Costa Amalfitana, nosso último destino na lua de mel!

Gostou? você pode compartilhar...Ou Comentar...
19 mai 2015
Lua de Mel: Paris

Meninas, vou começar os posts da lua de mel (estou esperando as fotos oficiais para fazer o do casamento, ok?). Nosso primeiro destino foi Paris, uma cidade que eu sempre quis conhecer e que me encantou!

Nos hospedamos no Hotel Cordelia, super bem localizado, ele fica entre o 8° e 9° arrondissement, pertinho da Printemps e da Galeria Lafayette. Fazíamos quase tudo a pé e quando algo era um pouco mais distante pegávamos taxi ou metro (tem várias estações perto). O hotel tem poucos quartos e é super charmoso. Peguei o quarto Privilege, que é um pouco maior e tem uma sacadinha fofa. Fiz a reserva pelo booking.com, mas vocês também podem fazer pelo site do hotel.

Nos primeiros dias não tivemos muita sorte e pegamos chuva e frio, mas mesmo assim deu para fazer todos os passeios. Compramos tickets para passear em um ônibus de turismo que faz várias rotas e passa pelos principais pontos turísticos da cidade (você pode descer nesses pontos e pegar outro ônibus depois). Acho legal fazer isso quando você vai pela primeira vez a algum lugar, assim dá para se localizar melhor. No ônibus também tinha um áudio guia (em português) que ia contando onde você estava e histórias do lugar. Eu comprei o ticket do ônibus por este site: clique aqui.

Também fomos conhecer o Palácio de Versailles. Fomos em um domingo de manhã e me assustei com a fila que pegamos! Já tinha comprado os ingressos pela internet, mas mesmo assim tivemos que ficar 2 horas na fila mais desorganizada que já vi! No fim, valeu a pena a espera. O castelo é incrível e os jardins maravilhosos!!

Reservamos um dia para conhecer a Disneyland Paris. Já conheço os parques de Orlando, então achei os de Paris meio sem graça, mas mesmo assim foi um passeio bacana. Os brinquedos que mais curti foram a Tower of Terror e a Rock ‘n’ Roller Coaster (ambos também tem em Orlando).

No nosso último dia em Paris fomos almoçar no restaurante 58 Tour Eiffel que fica no 1° andar da torre. Fiz a reserva pelo site do restaurante 2 meses antes da viagem, pois ele é super concorrido. A comida e o serviço não me convenceram (a comida parecia aquelas servidas em avião), mas a vista compensou. E também o fato de que não precisamos esperar na fila para subir na torre.

Outro passeio que gostei bastante de fazer foi subir no Arco do Triunfo para ver o pôr do sol. A vista lá de cima é linda!

Nossos programas noturnos se resumiam a restaurantes, mas também fomos em um show de cabaré. Escolhemos o Crazy Horse depois de ler esse post no Conexão Paris. Adorei o show, super sensual, mas de bom gosto.

Os restaurantes que eu mais gostei foram o Pershing Hall, o Maison de la Truffe, o Le Relais de L’entrecote, o Monsieur Bleu e o L’As du Fallafel. Não esqueça de fazer reserva antes de ir (exceto o Le Relais e o Fallafel que não aceitam reservas).

Falando em comida, eu ameeeeei os macarons da Pierre Hermé. Achei melhor que os da Ladurée e Fauchon! #ficaadica

Acho que é isso! Gostaram do post e das fotos? Caprichei, né?

Qualquer dúvida perguntem nos comentários. Ainda nessa semana publico o post sobre Capri e a Costa Amalfitana na Itália.

Gostou? você pode compartilhar...Ou Comentar...